Primeiro Green Building da Hugo Peretti
30/12/2013

Green Building da Hugo PerettiA Construtora Hugo Peretti entregou o primeiro empreendimento Green Building, na modalidade Built to Suit (ou Construído para Servir, em tradução livre) da cidade de Curitiba, chamado Centro Empresarial Antonio Peretti. O imóvel foi construído a curtos prazos para a empresa Intertechne, atendendo os interesses técnicos, arquitetônicos e logísticos do locatário. Ou seja, sob medida para o cliente. A Saga Participações, representada pelas sócias Maria Gabriela Peretti e Sabrina Peretti Gurtensten é também parceira na construção do empreendimento.

O centro empresarial que abrigará a nova sede da Intertechne é ainda baseado no conceito Green Building (Construção Verde), que prevê a racionalização de recursos e o uso de avançadas tecnologias para minimizar os impactos negativos da construção no meio ambiente. Durante os processos de concepção, execução e operação, a utilização do conceito promove benefícios sociais, econômicos, ambientais e para a saúde humana. Esse sistema de construção segue os critérios do Green Building Rating System da certificação Leadearship in Energy and Environmental Design (LEED), criada pela Organização Não Governamental (ONG) norte-americana U.S. Green Building Council.

O empreendimento – O edifício, localizado no número 100 da Avenida Iguaçu, entre as ruas João Negrão e Rockefeller, tem área total de 9.500m², área privativa de 5.600m² e oito pavimentos. Para o diretor da Intertechne, Fernando Krempel, o empreendimento representa mais uma parceria de sucesso com a Construtora Hugo Peretti. “Atualmente somos os maiores locadores do edifício Laís Peretti, com cerca de 3.500m² distribuídos do nono ao décimo sexto andar. Entre os fatores que nos fizeram eleger a Hugo Peretti como a idealizadora de nosso edifício exclusivo está a qualidade construtiva e a confiança”, elogia. Ele explica que o novo prédio que abrigará a Intertechne conta com escritórios panorâmicos, adaptados às necessidades da empresa. O projeto arquitetônico leva a assinatura do escritório Realiza Arquitetura, especializado na construção de edifícios sustentáveis, sob o comando dos profissionais Frederico Carstens e Antonio José Gonçalves Junior.

SobreHugoA Hugo Peretti Companhia Ltda. foi fundada em Curitiba no dia 18 de janeiro de 1945, por Hugo Peretti, Engenheiro Civil formado pela Universidade Federal do Paraná. Pioneiro em soluções tecnológicas, Hugo Peretti fez inúmeras contribuições ao cenário da construção no Paraná. A empresa é responsável por obras reconhecidas, tais como o Victoria Villa Hotel, o Hospital São Lucas e também o Hospital Erasto Gaertner, sempre utilizando recursos próprios, característica que a empresa preserva ainda hoje. Atualmente, à frente da construtora estão os diretores Percy Peretti e Hugo Peretti Neto.| HugoPeretti

Mercado imobiliário paranaense
28/12/2013

Empresas do mercado imobiliário, de forma responsável, controlam volume de lançamentos para fazer entregas em prazos prometidos

Mercado imobiliário por João Auada JrDesde 2012, construtoras e incorporadoras apertaram o cinto com relação ao volume de novos lançamentos, medida necessária para não prejudicar o prazo de entrega e equilibrar o quadro de oferta e procura. Para especialistas, esse movimento de contenção não significa que o segmento esteja perdendo força.

“Estamos assistindo a um comportamento natural do mercado, que está passando por um período de adequação de oferta. Isso demonstra amadurecimento e seriedade, trazendo mais segurança ao setor. Os preços deverão continuar subindo de forma alinhada com a variação de custos da construção civil e o imóvel vai continuar sendo uma excelente opção de investimento”, garante João Auada Junior, diretor de negócios da TECNISA, empresa responsável por empreendimentos modernos e inovadores em Curitiba, entre eles o The Five East Batel, o Centro Cívico, o Inspira Business e o HUB.

De acordo com Auada, na capital paranaense não aconteceu nada diferente do ocorrido no restante do país. Historicamente, a cidade apresentava um preço de imóveis muito defasado com relação a média de preços nas principais cidades brasileiras, levando ao consumidor a percepção de que os valores subiram de forma descontrolada. “Esta é uma visão equivocada, pois o que ocorreu foi um alinhamento de valores baseados em uma nova realidade de custos e renda”, lembra.

Segundo o diretor de negócios da Tecnisa, o custo da construção em Curitiba é equivalente ao de São Paulo. Nos últimos anos, o Produto Interno Bruto (PIB) paranaense cresceu mais do que a média nacional. Sem considerar o Distrito Federal, a cidade tem hoje o terceiro maior PIB entre as capitais, perdendo apenas para São Paulo e Rio de Janeiro. “Nos últimos anos, a capital paranaense passou a receber novos projetos totalmente alinhados com a inserção da cidade como uma metrópole de destaque e que poderiam estar localizados em qualquer grande metrópole mundial”, detalha Auada.

Sem riscos de “bolha imobiliária” – A forte expansão da economia brasileira nos últimos anos, com baixas taxas de inflação e de juros, proporcionou um aumento no nível de investimento no país, com consequente aumento de renda da população. O Brasil ainda tem um déficit habitacional e, consequentemente, isso propicia a produção imobiliária. Existem cidades em que o equilíbrio de oferta e demanda permanece estável, e outras em que o volume de lançamentos cresceu mais que a capacidade de absorção do mercado, daí o temor da existência de uma “bolha imobiliária”, como ocorreu nos Estados Unidos em 2008.

Na ocasião, as empresas financeiras especializadas no mercado imobiliário, para aproveitar o bom momento do mercado, passaram a atender o segmento “subprime”. O cliente “subprime” é um cliente de renda muito baixa dos Estados Unidos, por vezes com histórico de inadimplência e com dificuldade de comprovar renda. Esse empréstimo tem, assim, uma qualidade mais baixa, ou seja, o risco de não ser pago é maior, mas oferece uma taxa de retorno mais alta, a fim de compensar esse risco.

“No Brasil, para oferecer segurança ao mercado, as condições de concessão de credito são muito mais rigorosas. Além disso, o aumento de custos não se deve simplesmente por movimentos de especulação de curto prazo, mas sim, por correção de valores de custos setoriais acompanhado de uma um aumento de renda e da elevação da taxa de emprego da população”, explica Auada.

Investimento imobiliário requer planejamento – Para quem está no mercado, não há dúvida de que investimento imobiliário sempre foi e continuará sendo uma opção segura e atraente. No mundo todo, ao longo da história, grandes fortunas foram construídas baseadas nos investimentos em imóveis. Em Curitiba, não é diferente. Existem várias famílias na cidade que utilizam o investimento imobiliário com importância significativa na composição do seu portfólio de investimentos.

Um ponto importante é definir que investimento imobiliário seguro deve ser analisado e medido a médio e longo prazo. A análise da valorização dos Imóveis precisa ser feita de acordo com o momento econômico do país. “Em momentos de forte expansão da economia, temos a geração de riqueza, que aumenta a demanda, e por consequência o valor dos imóveis acaba sofrendo grande valorização neste período”, detalha o especialista.

Vale ressaltar que o crescimento da economia de qualquer país acontece em ciclos, e nos momentos de menor variação, os imóveis têm uma valorização moderada, compatível com as variáveis econômicas do momento. Em períodos de alta inflação, por exemplo, o imóvel sempre é uma proteção para o valor do patrimônio, pois os preços acompanham os índices de atualização de custo do setor. Auada alerta, que para fazer um bom negócio, não basta somente encontrar o melhor preço por metro quadrado. “Empreendimentos com bons projetos, conceituação, estruturação modernas e eficientes e boa localização devem ser os pontos principais da análise dos investidores”, completa.| TECNISA