Incêndio no Memorial evidencia falhas
31/12/2013

Incêndio no MemorialO incêndio no Memorial, no final do mês de novembro, mais um de grandes proporções atingiu um de nossos empreendimentos. Desta vez, o incidente provocou forte comoção, pois ocorreu no Memorial da América Latina, centro cultural da cidade de São Paulo, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Embora as causas ainda não tenham sido confirmadas, as notícias apontam que fogo teria se iniciado quando a energia elétrica, que havia tido uma queda, retornou e causou um curto circuito no auditório Simón Bolívar. As chamas comprometeram cerca de 50% do local.

Mas a questão é muito mais ampla que as causas desse incêndio. O que deve, mais uma vez, ser discutido é o sistema de prevenção adotado nos empreendimentos brasileiros, a Norma Brasileira Regulamentadora (NBR), pouco eficaz e ainda não unificada no território nacional. Quem fiscaliza as instalações é o Corpo de Bombeiros, ou seja, um órgão estadual, o que faz com que as regras existentes variem conforme o local da edificação. O pior problema ainda não é esse, já que a legislação permite a liberação para funcionamento somente com as mínimas exigências atendidas.

A preocupação em atender as exigências mínimas pode ser explicada pelo fato de muitos estabelecimentos se preocuparem apenas com a obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). O documento é emitido durante vistoria para certificação da condição de segurança contra incêndios, prevista pela legislação, e estabelece a data da próxima vistoria, dando menos atenção a fatores como instalação e funcionamento.

Os prejuízos e riscos que a falta de rigidez das normas brasileiras causam ficaram mais uma vez em evidência com o incêndio ocorrido no Memorial da América Latina. Felizmente, não houve feridos graves, mas esta é mais uma boa oportunidade para nos perguntarmos sobre até quando nossos patrimônios e nossas vidas serão postos em risco por conta da falta de atenção a um item tão importante quando o assunto é segurança.

Felipe Melo é engenheiro eletricista com MBA em Gestão de Projetos e Diretor de Projetos da ICS Engenharia, empresa especializada em proteção contra incêndio.| ICSEngenharia

Sobre bolas, sobre Longo
10/12/2013

Quem já passou pela Rua Amauri, em Pinheiros, deve ter se deparado com uma esférica metálica gigante, com 8 metros de diâmetro. Trata-se da Casa Bola, projetada nos anos 1970 pelo arquiteto Eduardo Longo. A moradia nada convencional faz parte de uma série de estudos sobre o excesso e o essencial, que sempre permearam a vida e carreira de Eduardo. Dentre os exercícios para se livrar do supérfluo, aplicados em carros e paredes, Longo projetou uma maquete de uma casa nada convencional: redonda, instigante, sem qualquer ângulo reto ou espaços para o excesso. A maquete virou um projeto e Eduardo aplicou o conceito de moradia como espaço essencial ao limite, erguendo a casa em questão.

Este e outros trabalhos inovadores são temas do livro “Sobre Bolas e outros Projetos – Eduardo Longo arquiteto”, que a Fundação Stickel lançou em de novembro, no Museu da Casa Brasileira. Além disso, o mentor da Casa Bola foi um dos participantes da X Bienal de Arquitetura de São Paulo 2013.

“Sobre Bolas e outros Projetos”, escrito pelo jovem arquiteto português Fernando Serapião, faz uma leitura da desafiadora produção de Longo, que, em 40 anos de arquitetura, questionou não apenas padrões de usos e costumes residenciais, mas também de ocupação urbana e ambiental, movido mais por necessidades internas do que por demandas de mercado. O livro cobre toda a sua trajetória, mas não toda sua produção, repleta de pequenas intervenções, nem todas devidamente documentadas.

A Fundação Stickel enquadrará a parceria com Eduardo Longo no Projeto Contrapartida 2014, que apoia e promove artistas brasileiros contemporâneos por meio da realização ou patrocínio de exposições, publicação de livros e divulgação do trabalho. Em contrapartida a este apoio, os artistas se comprometem a contribuir com a comunidade na qual a Fundação Stickel atua, ministrando cursos, oficinas e palestras sobre arte e cultura. Os detalhes do Projeto Contrapartida 2014 com Eduardo Longo serão disponibilizados no site da Fundação Stickel.

SobreStickel – A Fundação Stickel é uma organização sem fins lucrativos cujo principal objetivo é promover a arte e o desenvolvimento, proporcionando ao seu público-alvo melhores oportunidades de inserção social pelo acesso à cultura, trabalho e geração de renda. As atividades da Fundação Stickel concentram-se atualmente em comunidades da zona norte da cidade de São Paulo. Todos os projetos e serviços da Fundação Stickel são gratuitos, e a instituição presta contas de suas ações com transparência e responsabilidade.| FundaçãoStickel

Ficha: “Sobre Bolas e outros Projetos – Eduardo Longo arquiteto”/ Autor e editora: Fernando Serapião – Paralaxe Editora/ Coordenação Editorial: Marcelo Aflalo e Marta Rodés Aflalo/ Projeto Gráfico: Marcelo Aflalo / Univers Design/ Páginas: 196/ Preço: R$ 90| ParalaxeEditora