Archive for the ‘paisagismo’ Category

CasaE | Mata Atlântica no jardim
29/04/2014

Vegetação original da Mata Atlântica é mais resistente e permite economia de insumos. Pássaros já começam a habitar a pequena floresta da CasaE

O jardim de plantas nativas da Mata Atlântica e Cerrado da CasaE, Casa de Eficiência Energética da BASF, que fica na Zona Sul da Capital, já está virando uma pequena floresta e começa a atrair novos moradores. Um beija-flor construiu seu ninho e dois filhotes nasceram em fevereiro. “É uma prova da funcionalidade da mata nativa. A expectativa é que outros pássaros façam o mesmo e venham habitar o espaço”, afirma Ricardo Cardim, Botânico responsável pelo projeto.

CasaE

CasaE, Casa de Eficiência Energética da BASF, ganha jardim de plantas nativas da Mata Atlântica e Cerrado

Além de muito resistentes, as plantas nativas regionais são mais sustentáveis: demandam baixa manutenção, menos insumos, como adubos e produtos de combate às pragas, já que não costumam sofrer ataque. Também economizam água porque funcionam baseadas no regime de chuvas da região, exigindo menos rega.
A irrigação, inclusive, é feita com a água da chuva que é recolhida por meio de pisos drenantes e armazenada em reservatórios para reutilização.

“É o primeiro jardim em uma construção sustentável com uso exclusivo de plantas nativas, fazendo da CasaE uma edificação única em sustentabilidade regional”, garante Cardim.

Segundo o botânico, se fosse um jardim com plantas estrangeiras, como normalmente se faz, seria preciso tratar doenças, investir em adubo, podas, além de consumir maior volume de água. “A maior parte da vegetação utilizada nas grandes cidades para arborização e paisagismo é de origem estrangeira, o que extinguiu espécies nativas e causou desequilíbrio ecológico”, explica Cardim.

O paisagismo da CasaE foi planejado após pesquisas sobre a vegetação que existia no local no passado. A construção está localizada onde ficava a margem do riacho Cupecê, hoje canalizado embaixo da Avenida Prof. Vicente Rao. Como resultado, foi recriado um trecho de Mata Atlântica nativa de São Paulo, com espécies quase extintas na metrópole, como o cambuci (Campomanesia phaea) e a copaíba (Copaifera langsdorffii). Boa parte das espécies presentes produz frutos para o homem e para a fauna.

Além de criar a oportunidade para que as pessoas conheçam as principais espécies nativas, o jardim da CasaE gera melhorias significativas na qualidade de vida. As plantas auxiliam na filtragem e remoção dos gases e partículas poluentes do ar, aumentam a umidade do ar pela liberação de vapor de água, absorvem o carbono emitido pelos veículos, atenuam a poluição sonora, diminuem as ilhas de calor e promovem maior conforto psicológico.

Espécies nativas de São Paulo presentes no jardim da CasaE: angico – branco (Anadenanthera colubrina) / Ingá (Inga sp.) / palmito-jussara (Euterpe edulis) / capororoca-vermelha (Rapanea ferruginea) / guatambu (Aspidosperma sp.) / embiruçu (Pseudobombax grandiflorum) / cereja-brasileira (Eugenia brasiliensis) / angico do cerrado (Anandenanthera falcata) / canela (Nectandra megapotamica) / cambuci (Campomanesia phaea) / jequitibá-branco (Cariniana estrellensis) / cedro-rosa (Cedrela fissilis) / pau-viola (Cytharexylum mirianthum) / manacá-da-serra (Tibouchina mutabilis) / tapiá (Alchornea sidifolia) / camboatã (Cupania vernalis) / cabeludinha (Plinia glomerata) / araçá (Psidium cattleyanum) / pitanga (Eugenia uniflora) / jerivá (Syagrus romanzoffiana) / copaíba (Copaifera langsdorffii).

Sobre a BASFA BASF é a empresa química líder mundial: The Chemical Company. Seu portfólio de produtos oferece desde químicos, plásticos, produtos de performance e para proteção de cultivos, até petróleo e gás. Nós combinamos o sucesso econômico, responsabilidade social e proteção ambiental. Por meio da ciência e da inovação, nós possibilitamos aos nossos clientes de todas as indústrias atender às atuais e futuras necessidades da sociedade. Nossos produtos e soluções contribuem para a preservação dos recursos, assegurando nutrição saudável e melhoria da qualidade de vida. Nós resumimos essa contribuição em nossa proposição corporativa: “We create chemistry for a sustainable future” – Nós transformamos a química para um futuro sustentável. A BASF contabilizou vendas de €74 bilhões em 2013 e contava com mais de 112 mil colaboradores no final do ano. As ações da BASF são negociadas nas bolsas de valores de Frankfurt (BAS), Londres (BFA) e Zurique (AN). Mais informações sobre a BASF estão disponíveis no endereço http://www.basf.com.br ou nos perfis corporativos da empresa no Facebook (BASF Brasil) e no Twitter (@BASF_brasil). /– As vendas na América do Sul totalizaram, aproximadamente, € 4.2 bilhões em 2013 (Esse resultado abrange os negócios realizados pelas empresas do Grupo na região, incluindo a Wintershall – empresa situada na Argentina, voltada a produção de petróleo e gás). /- Na América do Sul, a BASF contava com mais de 6 mil colaboradores em 31 de dezembro de 2013.| webBASF

Sobre a CasaE – A CasaE é a primeira Casa de Eficiência Energética da BASF no Brasil e a 10ª unidade da empresa no mundo. O projeto recebeu soluções inovadoras desenvolvidas pela BASF e pelos parceiros envolvidos com o objetivo de reduzir o consumo de energia e a emissão de CO2./ O sistema construtivo utilizado para as paredes, foi o Sistema ICF – Insulated Concrete Formwork – blocos feito com Neopor® – poliestireno expandido. Esta inovação, além de tornar a obra mais rápida e limpa, é responsável por um isolamento térmico eficiente. A estimativa de economia de toda a energia necessária é de cerca de 70%./ A BASF tem entre seus pilares a construção sustentável e oferece soluções voltadas à eficiência energética, além de materiais de alto desempenho, design e decoração. São plásticos, poliuretano, produtos químicos para construção, tintas, vernizes e pigmentos de última geração. Todos esses materiais foram aplicados na CasaE com o objetivo de mostrar ao mercado de construção o que existe de mais moderno em termos de obra de eficiência energética.| webCasaE

Verde que falta nas cidades e o calor
25/03/2014

Benefícios fiscais trarão mais verde e qualidade de vida para as cidades brasileiras
Renan Guimarães A.T.Verde

“Mais verde e qualidade de vida para as cidades”

O Brasil tem vivido intensas ondas de calor. A sensação térmica chegou a 40ºC em vários municípios. No Rio de Janeiro, ultrapassou os 46ºC. Janeiro de 2014 foi o mais quente já registrado pelo Inmet na capital paulista, desde o início das medições realizadas no Mirante de Santana, em 1943. Curitiba tem recorde de alta temperatura, e Porto Alegre chegou a estar entre as cidades mais quentes do mundo, entre outros exemplos.

As pessoas sofrem com a baixa umidade do ar. A justificativa pode estar nas mudanças climáticas ou em algum processo natural com o qual não estamos acostumados, mas nada muda o fato do que intensifica esse calor: a ausência de verde nos centros urbanos cobertos de asfalto e concreto.

Telhados verdes e jardins verticais, por exemplo, melhoram o conforto térmico de qualquer ambiente. Espalhados pelas cidades, envolvendo edifícios em grandes avenidas, casas e lojas, trariam benefícios incontáveis, principalmente no verão. Casas e prédios usariam menos o ar condicionado, e as pessoas não enfrentariam tantos problemas respiratórios. Problemas com enchentes seriam atenuados, já que a água da chuva pode ser captada pelos ecotelhados. Sistemas com reservas de água e que reutilizem a água pluvial e de esgoto seriam os mais adequados em regiões secas e castigadas por altas temperaturas.

A necessidade de mais infraestrutura verde urbana é pauta em muitas cidades brasileiras. Já existe o reconhecimento de que precisamos modificar a forma com que estruturamos as nossas cidades e que é fundamental trazer a natureza de volta. Discute-se, inclusive, formas de beneficiar àqueles que adotarem práticas de infraestrutura verde, como telhados e paredes verdes, uso de energias renováveis, arborização, agricultura e apicultura urbana, tratamento e reaproveitamento de águas pluviais e até mesmo cloacais. No entanto, cada cidade tem sua própria normatização a respeito.

Goiânia e Guarulhos têm normas semelhantes que concedem descontos sobre o IPTU dos imóveis daqueles que dotarem seus empreendimentos com técnicas de infraestrutura verde. Por elas, o desconto pode ser de até 20% da alíquota pelo período de cinco exercícios consecutivos, havendo a fiscalização periódica do município para verificar o cumprimento das medidas.

São Bernardo do Campo/SP também tem o seu IPTU Verde, beneficiando as áreas de cobertura vegetal dos imóveis. Outras cidades brasileiras já adotaram o IPTU Verde promovendo técnicas de infraestrutura verde, como São Vicente/SP, ou o colocam entre seus projetos. São Carlos/SP reduz em até 2% o IPTU dos imóveis que tiverem áreas permeáveis vegetadas no seu perímetro, podendo, assim, os telhados verdes serem utilizados para esse fim.

Porto Alegre/RS ainda não possui IPTU Verde, mas existe a possibilidade de substituir com telhado verde parte da área do imóvel que deveria ser livre de edificações, podendo construir mais no terreno. O município do Rio de Janeiro criou o selo Qualiverde que beneficia tais técnicas e quem adquire tem preferência nos processos de licenciamento da obra. Quanto a benefícios fiscais, já foram encaminhados projetos normativos para que os que possuírem o selo possam ser contemplados com benefícios fiscais.

João Pessoa possui lei que, inclusive, obriga à instalação de telhados verdes em determinadas construções, e nela ainda está prevista a criação de incentivos fiscais para esse fim. São Paulo, Curitiba e muitas outras cidades têm projetos semelhantes, apesar de suas imperfeições.

Verifica-se em todo o Brasil o encaminhamento de muitos projetos para serem aprovados que colocam os incentivos como o principal caminho para promover a natureza nos ambientes urbanos. A tendência, assim, é o aumento gradual do número de municípios que oferecem descontos das alíquotas do imposto aos que adotarem as tecnologias de infraestrutura verde nas suas edificações.

Certamente, essas iniciativas trarão mais verde para os centros urbanos e nos ajudarão a enfrentar os próximos períodos de verão com mais qualidade de vida. Afinal, não bastam medidas para combater as mudanças climáticas, precisamos de mais conforto para convivermos com elas.

Renan Guimarães – secretário executivo da Associação Tecnologia Verde Brasil e especialista em direito ambiental| webATVerde

Telhados Verdes, curso em Porto Alegre
14/03/2014

Curso sobre Telhados Verdes, Paredes e Cortinas Verdes – Porto Alegre/RS
Telhados Verdes em PoA

Telhados Verdes em PoA, por Eng. Agr. Helena Wachsmann Schanzer e Eng. Agr. Beatriz Fedrizzi

Objetivo: capacitar o aluno a projetar, executar telhados verdes, Paredes (peles) e cortinas verdes.

Público-alvo: Arquitetos, agrônomos, biólogos, engenheiros, designers, Eng. Florestal, Artes.

Programa: Introdução – Telhados e Paredes verdes no mundo, Sustentabilidade, Histórico/legislação – incentivos (IPTU), Vantagens, Tipos de Sistemas de telhados verdes: intensivos, extensivos e espontâneos. Execução: 6.1- Projetos do tipo de solo, substratos, hidrometria dos materiais. 6.2- Concepção do projeto – ex. Sicredi/PUC e casa. 6.3- Engenharia da obra – peso, estrutural, impermeabilização. 6.4- Vegetação adequada – escolha das espécies, porte, crescimento, sistema radicular, riscos de escolhas erradas. Responsabilidade técnica, Sistemas de drenagem e irrigação ( por capilaridade – drena e irriga), camada filtrante, Manutenção, e Parte prática: O curso é aplicado, o aluno deverá conceber um telhado verde.

Instrutoras: Eng. Agr. Beatriz Fedrizzi e Eng. Agr. Helena Wachsmann Schanzer

Serviço: Curso Telhados Verdes, Paredes e Cortinas Verdes/ Investimentos: Associados R$ 420,00/ Não associados R$ 450,00/ Data: 2 a 4 de abril, 17h às 21h/ Inscrições até o dia 18/03/ Mais informações: Sinduscon-RS, (51) 3021.3440, Fax: (51) 3342.0035/ e-mail: secretariageral2@sinduscon-rs.com.br (Porto Alegre – RS)| HelenaWachsmannSchanzer

Benedito Abbud assina paisagismo do Opera House
05/03/2014

Arquiteto Benedito Abbud assina projeto paisagístico do Opera House, em Florianópolis, SC. Uniu requinte e descontração para dar vida ao conceito do condomínio de “uma casa de praia dentro de cada apartamento”
Benedito Abbud e o Opera House

Arquiteto Benedito Abbud assina projeto paisagístico do Opera House

Luxo, sofisticação e requinte fazem do condomínio Opera House, o destino certo para casais e famílias que desejam um recanto para viver bem em uma das esquinas mais cobiçadas de Florianópolis/SC e valorizadas no sul do país: a Beira Mar Norte. Lançado pela WOA Empreendimentos Imobiliários, o condomínio faz parte do empreendimento SIMPHONIA WOA BEIRAMAR e recebeu um toque especial ao ter seu projeto assinado pelo renomado paisagista Benedito Abbud. O arquiteto, responsável pela consultoria nas instalações da Olimpíada de 2016, foi responsável pela criação paisagística das áreas de convívio.

Segundo Benedito Abbud, o projeto foi inspirado em um trabalho de humanização e utilização do conceito de movimento unindo as áreas internas e externas à vegetação tropical e beleza do mar. “É como ter uma casa de praia dentro do seu apartamento”, destacou. O projeto contemplou as áreas de Terraço com Vista para o mar, Praça de Estar, Espaço Zen, Play Infantil e Juvenil e Conjunto Aquático com Solarium, Piscina Infantil e Piscina Mirante com Borda Infinita.

Morar bem – Morar bem resume a proposta do Opera House: um condomínio marcado pelo conforto e detalhes sofisticados, além de áreas amplas, seguras e modernas que visam à integração e harmonia familiar. No entanto, o que mais chama atenção é a paisagem espetacular do lado de fora que ilumina e compõe cada ambiente.

O condomínio possui 15 pavimentos e quatro andares de garagens. Os futuros moradores poderão escolher entre quatro diferentes tipos de plantas, de acordo com suas necessidades, com apartamentos de até quatro suítes e com uma generosa área privativa que chega a 350m2,, adequando a todos os tipos de famílias. Além dos acabamentos luxuosos e da localização ímpar, o Opera House também se destaca pelo conforto e exclusividade, que só um empreendimento de alto padrão pode oferecer.

Dentre outros responsáveis pela unicidade do projeto está o Studio Methafora, responsável pela arquitetura. Já as áreas comuns foram elaboradas por Salvio Moraes Jr e Moacir Schmitt Jr, do CASAdesign Interiores, escritório com atuação em todo o país. A área de lazer valoriza a integração de ambientes externos e internos e oferece Sala de Festas com espaço gourmet e cozinha apoio, Sala de Estudos, Brinquedoteca, Sala de Jogos com Home Theater, Deck Descanso com vestiários, além de Sala Fitness e Sala Spinning.

Sobre WOA – Constituída com a participação das Koerich Imóveis, Zita Empreendimentos Imobiliários e Lojas Koerich, a WOA chegou ao mercado catarinense com a experiência de mais de meio século. O nome WOA é uma homenagem a três grandes homens, é o acrônimo dos irmãos Walter, Orlando (In Memoriam) e Antônio Koerich. Atualmente, a empresa trabalha em um empreendimento de alto padrão em uma das localizações mais prestigiadas de Florianópolis – a Avenida Beira-Mar Norte.| webWoa

Jardim Vertical Absolut em empena cega
13/02/2014

Projeto do Jardim Vertical chega para transformar o centro degradado da capital paulista e incentivar o processo criativo

Jardim Vertical AbsolutReconhecida por impulsionar e promover a arte e a cultura nos quatro cantos do mundo, a vodka premium líder do segmento, Absolut, também possui em seu DNA características urbanas e cosmopolitas. Sempre preocupada em transformar e incentivar o processo criativo, a marca agora mescla seu viés inovador e urbano à preocupação de enriquecer e transformar o grande centro da quinta maior cidade do mundo, lançando o Jardim Vertical por Absolut, o primeiro em empena cega na América do Sul.

O projeto está instalado em um dos edifícios no entorno do Minhocão, conhecido por sua engenharia bruta e pelo incontestável impacto na paisagem do centro. A proposta é transformar uma das áreas mais movimentadas e cinzentas da capital. Toda a instalação foi desenvolvida pelo Movimento 90°, precursora dos jardins verticais em grandes centros do Brasil. Além de transformar o contexto urbano, o projeto atua como filtro de gases poluentes, isolante térmico e acústico, contribui para aumentar a umidade do ar e a biodiversidade e transforma a estética da cidade. Segundo o estudo divulgado pela Universidade de Birmingham, o jardim pode reduzir em até 30% a poluição no entorno do projeto.

“Absolut acredita que as pessoas têm o poder de transformar o hoje para, assim, criar um futuro novo e melhor através da criatividade. E o Jardim Vertical por Absolut, feito em parceria com o Movimento 90° e Escola São Paulo, é uma maneira de trazer o conceito à tona, de mostrar essa crença da marca em um projeto concreto, que pode impactar positivamente a vida de muitas pessoas. Além de inspirá-las a transformar até aquilo que parecia impossível, como o Minhocão”, afirma Rafael Souza, Grouper das marcas Premium da Pernod Ricard.

Com estrutura simples, a área de 220m² foi construída com material reciclado e placas revestidas de dupla camada de feltro, para o plantio da vasta gama de espécies de epífitas e litófitas, ao todo são 19 tipos de plantas. Para manutenção foi instalado um sistema automatizado de irrigação e fertilização. Além disso, o Movimento 90° realizará visitas esporádicas para verificação do sistema e abastecimento de adubos.

“Pretendemos que essa ação marque o inicio de uma transformação. O Elevado Costa e Silva é um símbolo de degradação urbana, de abandono e é também um dos lugares de maior concentração de empenas cegas, em São Paulo. É um marco instalar lá o primeiro jardim vertical em empena cega da América do Sul, mostrando que todas aquelas paredes podem ser jardins e que o entorno do Minhocão pode se tornar um pulmão para o centro da cidade”, afirma Guil Blanche, Diretor Executivo do Movimento 90°.

Além de levar área verde ao local, o projeto também oferece uma exposição de arte, a céu aberto, desenvolvida pelos alunos da Escola São Paulo em parceria com Absolut. A intervenção artística ocupa mais um espaço, também, de 220m², totalizando o projeto em 440m² de área vertical criativa e inovadora.

Inspirados na poluição sonora do Minhocão, a ferramenta principal para criação da arte é o software Processing, que transformou um elemento negativo como os ruídos, caos e barulho do centro, em uma instalação visual inovadora composta por uma estrutura metálica revestida por fitas plásticas, tinta, texturas e iluminação especial, garantindo efeitos excepcionais tanto de dia quanto de noite.

“A interação entre jovens criadores e a cidade atesta que não existem limites para construir conexões renovadas entre o homem e seu ambiente. O Jardim Vertical por Absolut chega para provar que o espaço público pode ser múltiplo e oferecer constantes e diferentes interações”, afirma Luiza Arcuschin, Diretora do Instituto Escola São Paulo.

A produção do Jardim Vertical por Absolut teve a coordenação da Agência F.biz e contou com a participação de, aproximadamente, 100 voluntários e seis artistas.

SobreAbsolut – Absolut é uma vodka premium número 1 do mundo com aproximadamente 11 milhões de caixas de 9 litros**e é uma marca-ícone cuja influência vai além do universo de vinhos e destilados. Teve origem, em 1879, na cidade de Ahus, Suécia, pelo visionário Lars Olsson Smith, que trabalhava na busca pelo produto excepcional desde os catorze anos. Ele inventou o processo de destilação contínua, ainda hoje utilizado pela marca por seu caráter único, que garante a pureza e a qualidade à bebida. ABSOLUT possui como principal diferencial a fonte única de produção, o que garante controle de qualidade excelente no produto. Adquirida pela Pernod Ricard em 2008, a vodka possui em seu portfólio no Brasil as extensões das linhas saborizadas (PEARS, PEPPAR, CITRON, VANILIA, APEACH, MANGO), RUBY RED, BERRI AÇAÍ e a única vodka de luxo do País, ABSOLUT ELYX.| Absolut

SobreF – Com 14 anos de atividade (criada em julho de 1999), a F.biz é uma das maiores agências digitais do país. Tem uma abordagem brand-oriented, com foco em interatividade, combinando planejamento estratégico, criatividade e tecnologia. Criamos experiências. Experiências que visam engajar, inspiradas por uma nova dinâmica regida pelos diferentes públicos que se relacionam com a marca. Cada desafio de negócios e comunicação é tratado dentro de um método estrutural flexível para desenvolver posicionamentos de marca em ambientes interativos, e-commerce, projetos de mobilidade, criação, produção e monitoramento de campanhas e ações. Foi finalista do Prêmio Caboré em 2010 e em 2010 / 2011 / 2012, foi eleita pelo Great Place to Work como uma das melhores agências para se trabalhar no Brasil. Atualmente, tem 313 colaboradores e em sua carteira de clientes estão grandes marcas como Pernod Ricard, Unilever, Motorola, Pepsico, Netshoes entre outros.

SobreMovimento – O Movimento 90° é um negócio social, que nasceu em 2011, com o objetivo de transformar a paisagem de grandes cidades, a partir da instalação de Parques Verticais, no contexto urbano. A tecnologia foi adaptada às condições do Brasil, o que a tornou mais acessível e replicável. É capaz de reduzir em até 30% a poluição em seu entorno, resolver problemas acústicos, aumentar a umidade do ar, além de proporcionar conforto térmico no interior da edificação e gerar um beneficio estético à cidade. O Movimento 90° quer melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, catalisando o que há de melhor nos grandes centros urbanos: a relação de troca entre seus habitantes que nela criam e partilham.

SobreEscola – Fundada em 2006 por Isabella Prata, a Escola São Paulo é a única instituição da América Latina especializada no ensino e formação de profissionais para os setores da Economia Criativa. Desde sua inauguração, já formou mais de 20 mil alunos.

A instituição tem como propósito contribuir para a construção de um modelo contemporâneo de educação, que possibilite ao aluno autonomia no desenvolvimento de sua formação, a partir de uma proposta de construção curricular personalizada que leva em conta a história e as particularidades de cada aluno.

Na Escola São Paulo, cada aluno define o caminho a percorrer, auxiliado por uma equipe de mentores que o auxiliarão no sentido da busca dos seus objetivos.

Marcelo Novaes invade a China
13/02/2013

Marcelo NovaesO arquiteto paisagista Marcelo Novaes acaba de publicar em parceria com a editora chinesa Lioaning Sicence and Technology Publishing House (LST), o livro “Garden Landscapes”, projeto baseado na edição brasileira ”Os jardins de Marcelo Novaes”, publicado em 2009. O livro traz duas versões internacionais (inglês/mandarim ou somente em inglês) e possui 20 projetos, sendo dois inéditos, que serão vistos por todo o continente Asiático, Austrália, Estados Unidos e por alguns países europeus. É a primeira edição internacional publicada de um paisagista brasileiro, depois de Burle Marx. “Fiquei entusiasmado com o convite e a possibilidade de um trabalho internacional desta grandeza. O resultado final me impressionou, a qualidade gráfica é excelente e marcante. Tenho grande apego sentimental pelas minhas obras e mostrá-las ao mundo é muito gratificante”, declara o paisagista. Marcelo Novaes, formado pela Faculdade de Arquitetura da PUC-Campinas, realiza projetos criativos que nasceram de sua dedicação pelo paisagismo desde 1975, quando começou a trabalhar no viveiro de produção de sua família na região de Campinas. Marcelo também é associado à ABAP – Associação Brasileira dos Arquitetos Paisagistas. O trabalho inovador e sustentável que Marcelo Novaes imprime em seus projetos e jardins apresenta estética harmônica, atendendo aos desejos e necessidades de cada cliente. Os espaços criativos e únicos, organizados de maneira surpreendente pelo arquiteto, podem ser vistos anualmente nas principais mostras de arquitetura e paisagismo, além de publicações em livros e revistas do ramo, nacionais e internacionais. Serviço: 224 páginas / Lioaning Sicence and Technology Publishing House (LST) /  U$ 69,60 / Capa dura e sobrecapa / Vendas: www.amazon.com

Alphaville é menção honrosa do IAB
26/11/2012

Projeto do escritório EKF Associados – Arquitetura de Exteriores, de autoria da arquiteta paisagista Evani Kuperman Franco e equipe para o Centro Comercial do Núcleo Urbano de Brasília, da Alphaville, recebeu Menção Honrosa do IAB-SP (Instituto dos Arquitetos do Brasil – Departamento de São Paulo). O projeto, pretende criar um boulevard amplo que ressalte as espécies nativas do cerrado. Todo o plano visa o baixo consumo de água – com pavimento ecológico e irrigação com água de reuso, além da cobertura verde do boulevard que pode ser considerada um “pulmão verde”. “Criamos um projeto que promove o contato direto com a natureza e o fortalecimento da imagem do pedestre, que poderá usufruir de todas as áreas. As pessoas terão acesso a diversas áreas de alimentação e espaços destinados ao bem-estar. Todas as vias serão traçadas para garantir que o pedestre se sobressaia durante o trajeto pelo empreendimento.| EKF