Archive for the ‘engenharia&construção’ Category

Inspeção “delivery” agiliza construção
24/04/2013

A Rigging Brasil, especializada na inspeção de materiais para elevação, movimentação e amarração de cargas, inova na prestação de serviço de inspeção com o Rigging Móvel. A partir de agora, será possível fazer inspeções “delivery”, sem a necessidade de interrupções longas nos trabalhos com o leva e traz de materiais para realização do processo. Outros pontos a serem destacados para as construtoras é a maior segurança aos operários e atendimento de normas técnicas ou de exigências específicas de clientes. >>Trabalho recente foi realizado na Construcap, uma das maiores construtoras do País, na obra da refinaria da Petrobrás, em Minas Gerais. A construtora precisava atender as exigências da Petrobrás em segurança e contou com agilidade ao recorrer ao serviço. >>“O Rigging Móvel dinamiza o processo com atualização e controle de seus materiais. Evita danificações, já que a máquina de micropulsão evita possíveis fissuras na marcação dos materiais de elevação de carga, por exemplos”, detalha Gustavo Cassiolato, diretor da Rigging Brasil.| RiggingBrasil

Ecotoca: casa, escritório e embarcação
21/03/2013

33_ecotoca

A Edra do Brasil em parceria com a Eco Marina está lançando um novo conceito de casa, escritório e embarcação: a Ecotoca. Aproveitando os tubos produzidos pela Edra, estão sendo produzidas casas tubulares, feitas a partir da fibra de vidro, em parede dupla, com isolação de 50 mm de Poliuretano, o que garante um ambiente fresco e gostoso de se viver. Versáteis, elas podem ser apartamento familiar, escritório de obras, alojamentos de obras ou sala para arquivo climatizado, e podem ser instaladas em terra ou ser flutuantes. Segundo André Reynier, fundador da Edra e idealizador da Ecotoca, “a ideia é fazer um projeto totalmente tecnológico, modernizado e ecológico. Inclusive, estamos estudando a possibilidade das Ecotocas serem utilizadas no programa federal “Minha Casa, Minha Vida”. As casas seriam entregues prontas por R$ 35 mil reais, preço muito abaixo da média de uma casa comum com um dormitório”, diz Reynier. Além do Projeto Social, as Ecotoca se encaixa perfeitamente para as famílias ribeirinhas, que poderão aumentar seus ganhos com Ecotoca flutuante, uma vez que a casa pode ser deslocada facilmente respeitando os períodos sazonais da pesca. “É importante que a Ecotoca flutuante é vantajosa por não depender de estruturas em madeira que se deterioram com o passar do tempo”, explica. As Ecotocas também podem servir como ambulatórios para atender as aldeias de difícil acesso. Dessa forma, o atendimento poderia chegar facilmente a essas regiões, disponibilizando dentistas, médicos e enfermeiras. “É uma ótima opção para programas sociais, de lazer e moradia e nós estamos investindo em mais tecnologia e soluções para aprimorar o produto”, finaliza o fundador da Edra.| Edra

Tecnologia de concretagem é destaque
21/03/2013

Obra utiliza gelo em concreto para evitar fissuras em concretagem de grande volume. O empreendimento Workspace Brigadeiro concluiu a contenção lateral e a escavação dos quatro subsolos, dando início então à execução das fundações. Tanto as fundações quanto a supraestrutura exigem um planejamento executivo detalhado da concretagem, controle rigoroso e alta tecnologia construtiva, dada a quantidade de concreto e cimento consumidos na obra. “A união de todas as concretagens define o conjunto estrutural, responsável pela estabilidade global do edifício. A partir de então é possível realizar todas as atividades de acabamento dando ao empreendimento as características percebidas pelo consumidor final”, explica o engenheiro civil Fábio Pereira Mejardo, um dos responsáveis pela obra do empreendimento. A grande quantidade de concreto aplicado na sapata ocasionará a liberação de grande quantidade de calor, decorrente das reações químicas de pega do concreto. Mesmo com o controle tecnológico de temperatura, será possível atingir até 70º32_investparkC. Para garantir o resfriamento, a equipe de engenharia realizará uma atividade técnica complexa, exigida em casos específicos de estruturas com grande volume. “Desde o processo matemático, até o controle físico ‘in loco’, trabalhamos com diversas variáveis, sendo uma delas a própria temperatura ambiente no dia da concretagem”, continua Fábio. Ele explica que, caso o dia esteja muito quente, será necessária a inclusão de gelo na dosagem do caminhão antes de seu lançamento. Já um dia frio requer um cuidado ainda maior, pois se o resfriamento acontecer além do necessário, as reações químicas da pega não acontecem. “Tudo isso sem mencionarmos as impurezas e demais características que existem nos agregados constantes no traço”, destaca o engenheiro. O processo é importante para evitar trincas e fissuras decorrentes da diferença existente entre a temperatura do concreto e a temperatura ambiente. Entre os maiores desafios da construção do Workspace Brigadeiro, está a realização da obra em um terreno de 1.400m², com quatro andares de subsolo. O prazo de execução também se configura um desafio real. O cronograma prevê um tempo aproximado de 13 meses para a realização da concretagem de todas as estruturas (fundação, blocos, baldrames, pilares, vigas e lajes). “Uma obra desse porte, no centro de Curitiba, também representa um desafio, pois existe a questão logística e de horários. No entanto, o gerenciamento pontual desses processos garante o sucesso do empreendimento”, finaliza Fábio.| Investpark

Validade da infra-estrutura de João Pessoa
03/12/2012

Na última quinta-feira (29 de novembro), às 11h, o Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco) apresentou estudo inédito sobre a falta de manutenção da infraestrutura  em João Pessoa. Foram apresentados os problemas encontrados em obras de pontes, viadutos, passarelas, parques, edificações públicas e marquises entre outros. Os problemas foram detectados por uma comissão de engenheiros, urbanistas e especialistas em estruturas.  O trabalho, que já foi realizado em outras capitais (São Paulo, Recife, Belo Horizonte, Salvador, Florianópolis, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Fortaleza), será entregue às autoridades municipais, estaduais e federais.| SINAENCO

Pós em Estruturas e Construção Civil
09/11/2012

Termina no dia 23 de novembro o prazo para inscrição no processo seletivo do Programa de Pós-Graduação em Estruturas e Construção Civil (PPGECiv) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) para os cursos de mestrado e doutorado, com início das atividades previsto para março de 2013. Criado em 2002, o PPGECiv possui nota 4 na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e está organizado em torno de duas linhas de pesquisa: Gestão, Tecnologia e Sustentabilidade na Construção Civil e Estudo e Desenvolvimento de Sistemas Estruturais. As inscrições para os processos de seleção devem ser efetuadas pessoalmente, das 9 às 11 horas e das 14 às 17 horas, na Secretaria do PPGECiv, localizada no Departamento de Engenharia Civil (DECiv), na área Norte do campus São Carlos, ou pelos Correios. | ppgeciv@ufscar.br | (16) 3351.8261 ou 3351.9660 | www.ppgciv.ufscar.br

Em 30 anos construção civil será inviável
09/11/2012

A primeira palestra da 2ª Conferência USP sobre Engenharia (6,7,8/11) na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), em São Paulo, mostrou que a construção civil precisa urgentemente desenvolver inovações para otimizar o aproveitamento dos recursos naturais. Do contrário, em 20 ou 30 anos a atividade se tornará inviável do ponto de vista da sustentabilidade. “Hoje, a construção civil é responsável pela metade do consumo de toda a matéria prima usada pela humanidade”, informou o pró-reitor de Pós-Graduação da USP, Vahan Agopyan. “Apenas a cadeia produtiva do cimento consome um terço dos recursos naturais do planeta. Consumimos mais cimento do que alimentos.” Embora seja uma sorvedora de recursos naturais, a construção civil não pode ser freada. Se isso ocorresse, cerca de 80% da população mundial ficaria sem habitações decentes, abaixo do nível de qualidade de vida considerado aceitável. Por isso, segundo Agopyan, é preciso reformular o setor com inovações e novas soluções para diminuir o consumo de recursos naturais. “Uma das medidas é a redução dos desperdícios nas construções”, disse. “Hoje o material perdido é cinco vezes maior do que o consumido. A quantidade de resíduos das construções é maior do que lixo produzido nas áreas urbanas.” Outras soluções são usar materiais com maior durabilidade e aumentar a reciclagem.| www.poli.usp.br