Archive for the ‘Arte&Cultura’ Category

Casas do Brasil – Barraca Cigana em Olímpia
10/04/2014

Casas do Brasil – Barraca Cigana até 27 de abril, na Casa da Cultura, Centro, Olímpia, SP

Casas do Brasil - Barraca Cigana

Até 27 de abril, a cidade de Olímpia receberá um recorte da exposição Casas do Brasil – Barraca Cigana, quarta edição do projeto que propõe a formação de um inventário sobre a diversidade do morar no país, realizado pelo Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria de Estado da Cultura. A itinerância na Casa da Cultura de Olímpia acontece a partir da parceria entre o MCB e o SISEM-SP (Sistema Estadual de Museus), por meio da qual são levados a cidades paulistas conteúdos importantes já mostrados anteriormente no espaço expositivo do museu.

“Barraca Cigana” traz fotografias da pesquisadora Luciana Sampaio, que registrou o dia a dia de acampamentos dos ciganos Calon na periferia e interior de São Paulo durante mais de uma década. Em outubro de 1997, no Largo 13 de Maio, bairro de Santo Amaro em São Paulo, Luciana viu pela primeira vez um grupo de ciganas lendo a sorte na rua. “Sempre ouvi falar que eram bruxas malvadas, mas, a partir daquele momento, as cores dos seus vestidos passaram a ser um dos elementos que mais me atraíam, e que me levaram a conviver por quase 15 anos com famílias de ciganos Calon, espalhados pelo Estado de São Paulo”, relata.

Desde então, a fotógrafa documenta o modo de vida desconhecido destes brasileiros, sempre se questionando sobre como conseguiram manter praticamente intactos, por tantos séculos, língua, vestimentas, organização familiar, habitação, meios de sobrevivência e tantos outros valores. Em 2007, passou da documentação fotográfica para a produção de vídeos em que, além das atividades cotidianas, registrou também entrevistas. O trabalho resultou em um extenso arquivo documental que será, em parte, exibido na mostra. Complementam a exposição, textos da antropóloga Florencia Ferrari.

Os ciganos retratados na exposição são da etnia Calon, falam o dialeto Chibi, e atualmente vivem em cidades do estado de São Paulo em acampamentos espalhados por seis cidades: Jaboticabal, Pitangueiras, Guariba, Ribeirão Preto, Rio Preto e São Paulo.

Sobre Casas do Brasil – Realizado desde 2006, o projeto Casas do Brasil, com cinco edições já realizadas, procura mapear as diversas tipologias de habitações brasileiras com o objetivo de formar um inventário sobre a diversidade do morar no país. Já foram tema do projeto em exposições no Museu da Casa Brasileira a “Casa Xinguana” (2008) e a “Habitação ribeirinha na Amazônia” (2013). “Barraca Cigana” (2012) é o quarto volume da série.

Sobre o Sistema Estadual de Museus – O SISEM-SP reúne e articula todos os museus do Estado buscando promover o desenvolvimento e fortalecimento institucional. É coordenado pela Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM) da Secretaria de Estado da Cultura e atualmente engloba cerca de 415 instituições, públicas e privadas, de 190 municípios. Entre as principais ações do SISEM, está a realização de exposições itinerantes e de estudos detalhados sobre cada museu e cidades onde estão localizados. O SISEM promove, ainda, programas de formação, capacitação e aperfeiçoamento técnico de profissionais, além de convênios entre os museus do Estado e instituições nacionais e internacionais, com o objetivo de aprimorar e valorizar as próprias instituições e seus acervos.

Sobre Museu da Casa Brasileira – O Museu da Casa Brasileira se dedica às questões da cultura material da casa brasileira. É o único do país especializado em design e arquitetura, tendo se tornado uma referência nacional e internacional nesses temas. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, realizado desde 1986, e o projeto Casas do Brasil, que promove um inventário sobre as diferentes tipologias de morar no país.

Serviço: Casas do Brasil – Barraca Cigana em Olímpia/ até 27 de abril/ de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h/ Entrada Gratuita/ Casa da Cultura de Olímpia/ Rua São João, 942, Centro, Olímpia, SP/ Realização: MCB e SISEM/ Patrocínio: ORNARE/ Apoio: ProAC e Prefeitura de Olímpia| webMCB

MCB | Agnaldo Farias conduz visita
07/04/2014

Curador Agnaldo Farias conduz visita especial à mostra “Experimentando Espaços 2”, em cartaz no MCB – Museu da Casa Brasileira, 10 de abril, quinta-feira às 16h, Gratuito

MCB | Experimentando Espaços 2Como parte da programação da exposição “Experimentando Espaços 2”, o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, oferece uma visita especial com o curador Agnaldo Farias na quinta-feira, 10 de abril às 16h. Na ocasião, o arquiteto e designer abordará detalhes das obras expostas no jardim, refletindo sobre a curadoria dessa segunda edição da mostra. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone (11) 3032 2499 ou pelo e-mail agendamento@mcb.org.br. Será possível também realizar a inscrição na hora do evento.

Experimentando Espaços 2, em cartaz no MCB até 25 de maio, apresenta o trabalho de nove artistas brasileiros sob curadoria de Agnaldo Farias. Concebidas especialmente para o jardim do museu, as obras trazem diferentes modalidades de experiências espaciais que trafegam entre arquitetura, paisagem, a casa e os objetos com que a povoamos.

Com patrocínio da AkzoNobel, a exposição é a segunda edição do projeto realizado originalmente em 2009, que promoveu a ocupação artística da área verde do museu com a seleção de conteúdo de Agnaldo Farias. “O objetivo dessa edição continua sendo o de apresentar algumas das mais variadas e instigantes experiências espaciais realizadas por nossos artistas”, revela o curador. “Especulando sobre os significados e as formas de ser que as cidades, as paisagem, as arquiteturas, e até mesmo a extensa gama de objetos com quê mobiliamos os espaços domésticos, os artistas, por meio das mais variadas modalidades de suportes expressivos, terminam por reinventar a noção de espaço”.

Participam dessa segunda edição, todos com obras inéditas, os artistas André Komatsu, Angelo Venosa, Carmela Gross, Daniel Murgel, Genilson Soares, Georgia Kyriakakis, José Rufino, Marcius Galan e Rodrigo Bueno.

Jardim do MCB – O marco inaugural da abordagem museológica do jardim do MCB, patrimônio histórico com mais de 6 mil metros quadrados, foi a mostra Jardim do Solar, criada em 2004, que incorporou as centenas de espécies de árvores como acervo vivo do museu. Desde então, muitas mostras tiveram seu conteúdo expandido para o espaço do jardim e outras foram realizadas especialmente para a área expositiva externa.

Com o projeto Experimentando Espaços, teve início uma nova etapa de leitura desse espaço e novos diálogos, com sua primeira edição em 2009 e agora novamente em 2014. As obras dos artistas convidados, nas palavras do curador Agnaldo Farias, propõem experiências sensoriais que se desdobram em dimensões psicológicas, políticas, antropológicas, mnemônicas etc. Mantêm o jardim vivo como espaço de convívio e comunicação.

Sobre o curador Agnaldo Farias – Agnaldo Farias é professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, crítico de arte e curador. Consultor curatorial do Instituto Tomie Ohtake, ex-curador geral do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, da 29a Bienal de São Paulo e curador da representação brasileira da 54a Bienal de Veneza, há anos desenvolve pesquisas sobre a arte contemporânea, com destaque à produção nacional e às pesquisas voltadas a discussão do espaço. O interesse específico sobre as relações entre arte e arquitetura tem gerado, além de exposições, como é o caso do projeto Experimentando espaços 2, textos, seminários, e a criação de uma linha de pesquisa em nível de pós-graduação.

Sobre MCB – O MCB – Museu da Casa Brasileira se dedica às questões da cultura material da casa brasileira. É o único do país especializado em design e arquitetura, tendo se tornado uma referência nacional e internacional nesses temas. Dentre suas inúmeras iniciativas, destaca-se o Prêmio Design MCB, realizado desde 1986, e o projeto Casas do Brasil, que promove um inventário sobre as diferentes tipologias de morar no país.

Serviço: Visita Especial à mostra “Experimentando Espaços 2” – Gratuito/ Com o curador Agnaldo Farias/ 10 de abril/ Horário: 16h/ Inscrições: pelo telefone (11) 3032 2499 ou pelo e-mail agendamento@mcb.org.br/ (Será possível também realizar a inscrição na hora do evento)/ Exposição Experimentando Espaços 2/ Visitação: até 25 de maio/ Realização: MCB, Museu da Casa Brasileira/ Patrocínio: AkzoNobel/ Idealização e coordenação: Agenda Projeto Culturais e Doble Cultura + Social/ Local: MCB-Museu da Casa Brasileira/ Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano/ (11)3032.3727/ Visitação de terça a domingo, das 10h às 18h/ Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada)/ Gratuito aos domingos e feriados/ Condições de Acessibilidade / Bicicletário com 20 vagas/ Estacionamento pago no local/ Visitas orientadas: (11)3032.2564 / agendamento@mcb.org.br| webMCB

Arquitetura é tema na Carbono
31/01/2014

Arquitetura, com curadoria de Agnaldo Farias mostra “estudos, esboços e ensaios poéticos sobre arquitetura e territórios afins” exibe obras de artistas plásticos e também de arquitetos

Arquitetura é tema na Carbono

Obra de Guto Lacaz e de Joubert Lancha

A Carbono Galeria, inaugurada em março de 2013 com a intenção de difundir a arte contemporânea e valorizar os trabalhos em edição, inaugura no dia 04 de fevereiro a exposição “estudos, esboços e ensaios poéticos sobre arquitetura e territórios afins”, com curadoria de Agnaldo Farias. A mostra, que exibe obras inspiradas na arquitetura, conta com a participação tanto de artistas plásticos, como Guto Lacaz e Regina Silveira, quanto de arquitetos, caso de Joubert Lancha e Ruy Ohtake. Em cartaz até 15 de março.

O tema da exposição segue os rumos da investigação acadêmica do curador, que leciona na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Usp. “Há anos venho investigando artistas cujas pesquisas relacionam-se com arquitetura e arquitetos cujas obras relacionam-se com a arte. Na faculdade onde dou aula, uma das minhas linhas de investigação é justamente o nexo entre arte e arquitetura. Por conta disso, convidei arquitetos cujas obras têm uma preocupação estética diferenciada, que não incorrem em soluções esquemáticas e rotineiras, e artistas cujas investigações atravessam o campo da arquitetura, das cidades e dos objetos”, explica Agnaldo Farias.

Seguindo essas diretrizes, o curador selecionou os seguintes participantes: Angelo Bucci, Candida Höfer, Carla Caffé, Carlos Teixeira, Daniel Senise, Eduardo Coimbra, Genilson Soares, Guto Lacaz, Jimson Vilela, José Rufino, Joubert Lancha, Manoel Veiga, Márcia Xavier, Mario Figueroa, Regina Silveira, Rommulo Conceição, Rosângela Dorázio e Ruy Ohtake.

As obras presentes em “estudos, esboços e ensaios poéticos sobre arquitetura e territórios afins” têm a arquitetura como ponto de partida. Cada um dos participantes desenvolveu um trabalho com uma visão criativa e pessoal sobre o assunto, seja através de sua impressão particular ou de sua trajetória profissional. “No caso dos arquitetos, acostumados a responder demandas concretas, houve quem tivesse lançado mão de estudos de extração mais poética – caso de Teixeira e Bucci –, enquanto Figueroa e Ohtake transformaram em gravura uma espécie de súmula de alguns de seus projetos mais ousados”, comenta Agnaldo. “O convite a Guto Lacaz e José Rufino deveu-se ao interesse da inclusão do objeto, peças do mobiliário. Pois se arquitetura e a s cidades são espécies de peles com as quais nos protegemos das intempéries e estabelecemos ritos de convivência, os móveis de nossas casas são companheiros da nossa necessidade de aconchego. Carla Caffé e Manoel Veiga, para indicar apenas dois artistas presentes, enfrentam o universo da cidade. Visões muito distintas, mas igualmente fortes e esclarecedoras da abrangência do universo urbano”, diz ainda.

A arquitetura dialoga com o conceito com o qual a Carbono Galeria trabalha, exclusivamente com múltiplos, já que tanto um projeto arquitetônico quanto o design de um objeto de arte tem seu início no papel ou num protótipo – a maquete, no caso da arquitetura. “É um modo de aludir ao fato de que um bom de ponto de partida das coisas que devem a nós suas existências, é um desenho, frequentemente um projeto. A raiz etimológica do termo desenho, ao menos uma de suas raízes, refere-se à materialização de desejos. Na qualidade de projeto, esboço, ensaio, ele será sempre passível de ser traduzido e reproduzido. Daí a pertinência com uma galeria voltada ao processo de difusão da obra de arte”, finaliza Agnaldo Farias.

SobreCarbonoA Carbono Galeria, dirigida por Ana Serra e Renata Castro e Silva, foi inaugurada em março de 2013. Com a intenção de difundir a arte contemporânea no Brasil e valorizar as obras múltiplas em seus mais diversos formatos – gravura, escultura, objeto, fotografia etc –, a galeria promoveu, desde sua inauguração, três exposições coletivas (a mostra inaugural “Múltipla de Múltiplos”, da qual participaram artistas como Waltercio Caldas, Antonio Dias, Paulo Pasta e Edgard de Souza, “Gringos”, focada em nomes internacionais, como Jeff Koons, Mona Hatoum, John Baldessari e Larry Clark, e “Cinéticos e Construtivos”, com obras de Cruz-Díez, Soto e Volpi, entre outros), além de uma individual em homenagem ao centenário da artista plásti ca Tomie Ohtake e mais recentemente uma de Julio Le Parc, precursor da op art, e uma do designer Ara Vartanian, com peças criadas em parceria com a artista Janaina Tschäpe. Em agosto, a Carbono lançou em seu próprio website (www.carbonogaleria.com.br) uma galeria virtual, através da qual é possível adquirir obras, que são enviadas a qualquer parte do Brasil. Os clientes cadastrados ainda têm a vantagem de comprar trabalhos através de pré-venda, antes mesmo de seu lançamento.

Serviço: Coletiva “estudos, esboços e ensaios poéticos sobre arquitetura e territórios afins” @ Carbono Galeria/ Abertura: 04 de fevereiro, terça-feira, às 18h30/ Período expositivo: 05 de fevereiro a 15 de março/ Rua Joaquim Antunes, 59, Pinheiros, São Paulo, SP/ Horário de funcionamento: segunda a sexta das 10h às 19h, sábados das 11h às 15h/ Entrada franca| CarbonoGaleria

LEGO Architecture no Brasil
12/12/2013

Linha que traz a oportunidade dos aficionados terem os principais monumentos do mundo em suas mãos chega para País para crianças e aficionados de todas as idades, que gostam de design, arquitetura e construção

Sucesso mundial, a LEGO anuncia a chegada da linha Architecture ao mercado nacional. Por todo o mundo, os amantes da arquitetura e construção e também de design são aficionados pela linha e, ao que tudo indica, por aqui não será diferente. Mas, apesar de reunir fãs de todas as idades, a marca ressalta que os produtos da linha podem ser apreciados por crianças a partir de 10 anos, que encontrarão os conjuntos na Livraria Cultura e nas lojas conceito da LEGO em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Curitiba (PR).

São 17 novos produtos que representam diversas obras da arquitetura mundial. Entre eles, torres impressionantes como o Empire States, Pisa, monumentos como a Casa Branca, o relógio Big Ben, museus e outras das mais famosas construções do mundo. Cada conjunto virá acompanhado de um livro com dicas sobre como montá-lo e histórias e curiosidades da construção.

“O conceito dos produtos LEGO, usar a criatividade e o raciocínio lógico e, acima de tudo, construir e ter exposto os grandes ícones da arquitetura mundial são os pontos altos desta linha”, ressalta Robério Esteves, diretor de operações da LEGO no Brasil.

Principais lançamentos: Empire State Building, eleita uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, o Empire State Building é o símbolo dos arranha-céus americanos./ Solomon R. Guggenheim Museum, um dos museus mais famosos de Nova York. Desenhado por Frank Lloyd Wright, um dos maiores arquitetos do século XX, a construção levou 13 anos para ficar pronta./ Burj Khalifa, em Dubai, nos Emirados Árabes, está localizada a estrutura mais alta já feita pelo homem, com 828m de altura. Feita pelos arquitetos Skidmore, Owings e Merril, o projeto tem o formato de uma flor no deserto regional com aço, vidro e torre de concreto./ Brandenburg Gate, o Portão de Bradenburgo tem mais de 200 anos e foi encomendado pelo Rei Frederico Guilherme II, da Prússia, como um sinal de paz. Hoje, a obra de Carl Gotthard Langhans é um símbolo histórico e arquitetônico./ The White House, a famosa Casa Branca, construída entre 1792 e 1800 e reconstruída mais tarde, em 1814, após um incêndio. O projeto escolhido pelo presidente George Washington para ser a sede do governo norte-americano foi elaborado por James Hoban, que concorreu com outros renomados arquitetos da época./ Sydney Opera House, obra prima da arquitetura expressionista, do jovem dinamarquês Jorn Utzon, foi escolhida entre os mais de 930 concorrentes, de 28 países, em um concurso de desenho internacional em 1959 e se tornou um marco da modernidade./ The Leaning Tower of Pisa, a Torre Inclinada de Pisa, a mais famosa do mundo, é uma das principais referências da Itália. A sua construção começou há mais de 800 anos, quando uma viúva deixou 60 moedas de ouro em testamento e que pagaram as primeiras pedras usadas na obra./ United Nations Headquart, a sede da Organização das Nações Unidas, erguida em Nova Iorque (Estados Unidos), tornou-se um dos edifícios mais importantes do mundo. Disponível também em LEGO, você pode construí-la com 597 peças, desde a fachada lisa até a base do edifício./ Willis Tower, de Chigago, EUA/ Space Needle, de Seattle, EUA/ Fallingwater, da Pensilvânia, EUA/ Rockefeller Plaza, de Nova Iorque, EUA/ Farnsworth House, de Illinois, EUA/ Robie House, de Chicago, EUA/ Villa Savoye, de Paris, França/ Imperial Hotel, de Tóquio, Japão. | LEGOBrasil

Hub criativo no Cartel 011
11/12/2013

Inaugurado em novembro, o espaço da Idea!Zarvos apresenta livros e músicas que inspiram personalidades da economia criativa, que podem ser acessadas gratuitamente pelos visitantes

A incorporadora Idea!Zarvos abre as portas do seu novo espaço conceito em São Paulo: o Hub Idea!Zarvos. O projeto, concebido no Cartel 011, traz referências culturais de diversas personalidades ligadas à economia criativa, como o cineasta Fernando Meirelles e o designer Marcelo Rosenbaum. Além de apresentar livros e músicas que inspiram estes profissionais, o Hub servirá como sede para palestras e debates de temas diversos, cuja premissa é o potencial da criatividade e da inovação.

A missão do Hub é ser um local de inspiração, aprendizado, troca de ideias e experiências entre as pessoas, a partir dos conceitos que norteiam todas as atividades culturais do local. “Ações que motivam o exercício da criatividade estão no DNA da Idea!Zarvos. O Hub foi idealizado exatamente para atender como difusor cultural”, comenta Otavio Zarvos, fundador e presidente da Idea!Zarvos.

As preferências musicais e literárias de Guto Requena (arquiteto), Lincoln Paiva (ambientalista e criador do movimento Mobilidade Verde), Baixo Ribeiro (arquiteto e curador da galeria Choque Cultural), Marcelo Rosenbaum (designer), Isay Weinfeld (arquiteto), Tati Bernardi (roteirista), Gérson de Oliveira e Luciana Martins (sócios da Ovo Design) e Fernando Meirelles (cineasta) estarão expostas no Hub Idea!Zarvos. Todas as referências, sejam músicas ou livros, poderão ser acessadas gratuitamente no espaço pelos visitantes.

O Cartel 011 é um espaço multifuncional, que engloba serviços de diversos segmentos, como espaço co-working, loja, restaurante, bar, galeria e hair sudio, trazendo para seus consumidores um novo conceito de experiência. Com o objetivo de disseminar esse conceito, os sócios Cristian Resende e Fernando Sapuppo convidaram a Idea!Zarvos a conceber o projeto do Hub, firmando nova parceria cultural.

Serviço – Hub Idea!Zarvos no Cartel 011/ Rua Artur de Azevedo, 517, Jardim Paulista, São Paulo, SP/ De segunda a sexta, das 12h às 20h/ Entrada Gratuita| Idea!Zarvos